PublishNews já aponta mais vendidos do ano

Litherarium

Como já é costume, na última newsletter do ano, a PublishNews mostra quais os livros que fecharam o ano entre os mais vendidos nas 12 livrarias que compõem a Lista dos Mais Vendidos . Mas antes, vale dizer que a lista dessa semana apresentou um aumento de 15% nas vendas na comparação com a da semana passada e trouxe nove novidades. Entre elas, está o novo livro do padre Reginaldo Manzotti, que em 2017 foi o autor mais vendido com o seu Batalha espiritual(Petra). Dessa vez, ele estreou na lista, no finalzinho do ano e já na quinta posição da Lista Geral com O milagre da manhã com Deus (Petra), que vendeu 3.775 exemplares.

Mais vendidos 1

Ver o post original 610 mais palavras

Anúncios

Brasileiros incrementam a compra de livros usados

Livros e automóveis são os produtos usados mais adquiridos nos últimos 12 meses, revela estudo da CNDL/SPC Brasil de setembro

livros-usados

Com a economia em processo de recuperação, o mercado de produtos usados pode ser a oportunidade para quem planeja economizar na hora das compras e também para os que desejam se desfazer de objetos pessoais e ainda lucrar com isso.

O ranking de objetos usados mais adquiridos ao longo dos últimos 12 meses é encabeçado pelos:

  1. livros (54%)

  2. automóveis e motos (43%)

  3.  eletrônicos (38%)

  4.  móveis (38%),

  5. smartphones (36%)

  6. eletrodomésticos (36%)

diminuir gastos e poupar é um dos objetivos da maioria das pessoas que optam pela aquisição de produtos usados.

Causas e crenças

  • A maioria dos entrevistados acredita que, para determinados itens comprados nos últimos 12 meses, não é preciso comprar um produto novo para estar satisfeito com o seu uso.
  • Entre os entrevistados que compraram algum livro nesse período, 76% acreditam que vale mais a pena adquirir um exemplar usado do que um novo.
  • 65% calcularam o tamanho da economia de dinheiro com compra e venda de usados e 92% acham que atitude é vantajosa financeiramente.

Na avaliação do educador financeiro do portal ‘Meu Bolso Feliz’, José Vignoli, o mercado de usados vem ganhando cada vez mais espaço graças aos marketplaces, que são comunidades ou plataformas online de compra e venda que concentram diversas lojas e marcas em um mesmo local.

A pesquisa

A pesquisa ouviu 824 consumidores de ambos os gêneros, todas as classes sociais, capitais do país e acima de 18 anos. A margem de erro é de no máximo 3,4 pontos a uma margem de confiança de 95%.

via Brasileiros incrementam a compra de livros usados


Link para acessar a pesquisa completa:

https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas/pesquisas/filtro/busca/livro


Política de comentários:

  1. Seja respeitoso e não ataque o autor, as pessoas mencionadas no artigo ou outros comentaristas. Aceite a ideia, não o mensageiro.
  2. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar.
  3. Foque na questão. Os comentários que se desviarem do tópico em questão podem ser excluídos.

 

Drag queen na biblioteca: seria possível aqui no Brasil?

Drag queen (640x427)

Imaginem o seguinte cenário: Uma fila de meninas e meninos, muitos vestidos com trajes de princesa ou fada e espremidos na Galeria de Arte da biblioteca, gritaram de volta em concordância. Do lado de fora da galeria, mais de cem pais e apoiadores que não conseguiam se encaixar no espaço esperavam.

Foi exatamente assim que aconteceu, tudo isto para participarem da Drag Queen Kids Party na Biblioteca Pública de Olean (cidade localizada no Estado americano de Nova Iorque, no Condado de Cattaraugus).

captura-tela-instagram

Flo Leeta (@floleeta) animou parte da festa da biblioteca  por quase duas horas. Ela leu dois livros e dublou  “Let It Go” da Disney “Frozen”, e também “Cover Girl” de RuPaul. Ela então fez uma breve apresentação sobre gênero, durante a qual ela passou por um pouco da história feminina, e moda masculina e tentou explicar conceitos como fluidez de gênero.

“Você sabe como a água se move e não é uma forma? É assim que algumas pessoas são ”, disse ela, diante de uma projeção colorida de“ The Gender Spectrum ”.

O evento foi parte dos esforços da biblioteca para destacar o Pride Month para a comunidade lésbica, gay, bissexual, transexual e gay. Flo Leeta respondeu a perguntas tão simples quanto o tempo que levou para fazer sua maquiagem – duas horas e meia – e tão complexo quanto explicar o que é um bioqueen – uma drag queen que é uma mulher, que é diferente de um homem que retrata uma mulher como uma drag queen tradicional.

“Foi exatamente como em nossos sonhos”

Fala da a diretora da Olean Public Library, Michelle La Voie se referindo ao apoio da comunidade.

captura-tela-instagram2

Planejamento e gerenciamento de crise

Durante duas semanas antes do evento, a equipe da biblioteca recebeu muitos comentários negativos on-line, pelo telefone e pessoalmente. Eles também foram informados de que haveria um protesto no evento, que deveria incluir neonazistas – embora nenhum tenha aparecido na quarta-feira.

La Voie disse que ela e outros funcionários da biblioteca ficaram inicialmente muito desapontados com a negatividade em torno de sua decisão de sediar um evento de drag queen direcionado a crianças, e ela estava nervosa com o fato de as coisas ficarem fora de controle.

Mas sua atitude foi revirada pelas dezenas e dezenas de apoiadores que apareceram e pelos aplausos das crianças quando Flo Leeta perguntou se queriam que ela voltasse. “Não é como se minha fé fosse restaurada – é como se eu tivesse uma visão totalmente diferente dessa comunidade”, disse ela.

Aqueles que vinham como apoiadores – que ficavam em frente ao prédio três horas antes do evento – conversavam entre si enquanto usavam coisas como pinturas de arco-íris no rosto e alfinetes e camisetas pró-LGBTQ.

“Eu tenho duas mães e arrasto, e para mim é uma coisa enorme para alguém entrar na minha vida e dizer que está errado. Porque não é – é assim que vivemos nossas vidas ”.

SaJean Webb, 17 anos, saiu com sua família de Wellsville para apoiar a biblioteca depois de saber que haveria protestos. Informou ainda que estava feliz em ver a biblioteca realizar um evento especificamente para crianças com informações positivas sobre a comunidade LGBTQ.

Segurança

Embora um líder da Pensilvânia do National Socialist Movement tenha declarado publicamente que a organização estaria no evento, eles não compareceram. Autoridades policiais e de bibliotecas também disseram que não viram manifestantes do grupo neonazista na biblioteca na quarta-feira.

Os protestos permaneceram pacíficos, o que La Voie atribuiu à forte presença de policiais e simpatizantes. Cerca de oito policiais oleanos estavam presentes, incluindo o chefe de polícia Olean, Jeff Rowley, e um oficial da Polícia do Estado de Nova York.

No canto noroeste da biblioteca, do outro lado do estacionamento, de partidários, um grupo de menos de 10 manifestantes se reuniu com cartazes que incluíam declarações como:

“Deixe nossas crianças em paz!” E “Mantenha as crianças inocentes”. –

O manifestante Jonathan Smith, de Olean, questionou por que Flo Leeta estava aparecendo em seu traje de performance e não como um artista masculino Benjamin Berry, que traz o personagem à vida . Smith escreveu uma carta ao editor do Olean Times Herald contra o evento de leitura da drag queen na biblioteca, e disse que ele era especificamente contra uma organização financiada por fundos públicos que a hospedava.

“Se você quiser ler um livro de histórias para crianças, venha e faça”, disse ele no protesto. “Mas ele está sendo político como uma drag queen e isso já é uma coisa sexual, então isso adiciona um sabor sexual ao conceito de leitura de livros de histórias.”

 


Algumas considerações

Penso que a ideia é positiva no ponto de vista de trabalhar questões da bibliodiversidade, diversidade cultural e questões de gênero bem como o respeito ao próximo. Somado a isto, é super válido porque permite explorar o potencial artístico das dragqueens. Eu não consigo concordar com os posicionamentos que pude ler em algumas matérias que explicitavam que este tipo de atividade possui a  intenção de sexualizar e principalmente homossexualizar a sociedade.

Diante desta matéria gostaria de saber de vocês como leitor, como usuário de bibliotecas, como bibliotecários ou gestores de salas de leituras, projetos de promoção da leitura ou similares, o que pensam a respeito? Já li sobre casos do tipo nos Estados Unidos e na Suécia, mas nenhum caso brasileiro ou na região da América Latina e Caribe. Caso conheçam, por favor, compartilhem. 

Acreditam que esta prática poderia ser viabilizada? Gostaria muito de saber a opinião de vocês. 

 

Fonte inspiradora deste post: 

 

Política de comentários:

  1. Seja respeitoso e não ataque o autor, as pessoas mencionadas no artigo ou outros comentaristas. Aceite a ideia, não o mensageiro.
  2. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar.
  3. Foque na questão. Os comentários que se desviarem do tópico em questão podem ser excluídos.

 

 

3 motivos pelos quais a universalização da biblioteca escolar não está funcionando

Proposta de biblioteca escolar

PROPUESTA – biblioteca escolar. Fotografia de Carolina Bacigalupe. 2007. 1 fotografia, color. Disponível em: . Acesso em: 02 abr. 2018.

2020 está chegando e com ele esperamos que os gestores públicos se sensibilizem com a causa. Estou falando: da lei 12.244/2010 que dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do País. Um aspecto que tem chamado a atenção é o fato de que esta lei determina um prazo de dez anos para que as escolas se adequem as exigências, mas não relatam o que irá acontecer a quem ignorar tais determinações. Afinal de contas, faltam apenas dois anos.

Art. 2o  Para os fins desta Lei, considera-se biblioteca escolar a coleção de livros, materiais videográficos e documentos registrados em qualquer suporte destinados a consulta, pesquisa, estudo ou leitura.

Segundo Bernadete Campello (2012) a publicação da Lei n. 12.244/2010 foi resultado de um esforço da classe bibliotecária que, há longo tempo, vem denunciando a falta de bibliotecas nas escolas e a precariedade das poucas que existem, situação comprovada por diversos estudos.

No entanto, nota-se que a lei não assume o conceito de biblioteca escolar aceito pela comunidade acadêmica e pelas organizações que se preocupam com o caráter educativo da biblioteca como espaço de aprendizagem. Particularmente, gosto muito do que diz as Diretrizes da Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias (IFLA) para a Biblioteca Escolar porque ela é mais abrangente que a lei, pois nos apresenta a ideia do espaço cuja organização e funcionamento precisam ser entendidos,  mas sobretudo deve ser um espaço que precisa ser apreciado.

Biblioteca escolar é “um espaço de aprendizagem físico e digital, onde a leitura, o questionamento, a pesquisa, o pensamento, a imaginação e a criatividade são centrais para conduzir o estudante na sua trajetória da informação para o conhecimento, em direção ao seu crescimento pessoal, social e cultural (IFLA School
Library Guidelines, 2015, p. 16).

Continuar lendo

Manifiesto de la IFLA sobre las estadísticas de bibliotecas

Universo Abierto

37006d1f78a382af9c665654f8162781_xl

“Las bibliotecas y los servicios de información sirven a la sociedad mediante la preservación de la memoria, fomentando el desarrollo, lo que permite la educación y la investigación y apoyan la comprensión internacional y el bienestar de la comunidad.”

(Alex Byrne 2005)

“Manifiesto por las estadísticas “= IFLA Library Statistics Manifesto. The hague: IFLA, 2010

Texto completo

Ver además

El modelo de datos y definiciones del proyecto Global statistics for the 21st century

Este documento fue promovido por la entonces Presidenta Claudia Lux en la conferencia de la Sección en Montreal (Agosto de 2008). La idea era la de tener un documento aprobado que hablara de la importancia de las estadísticas bibliotecarias, ya que demuestran el valor que las bibliotecas suponen para sus usuarios y para la sociedad en general. Los datos estadísticos son indispensables para la gestión…

Ver o post original 1.071 mais palavras

Peer mentoring: entenda o que é e descubra como isso está funcionando entre os bibliotecários.

business-mentor-benefits-660x495.jpg

Peer mentoring, normalmente, significa a orientação e o convívio de alguém que já passou por alguma experiência específica com alguém que é completamente novo em relação à mesma experiência.

Podendo ser ainda interpretado como “aconselhamento aos pares” ou “aconselhamento de colegas” já vinha sido aplicado no ambiente das universidades estrangeiras a certo tempo.  Para que este programa funcione, as instituições contam com o trabalho voluntário de outros estudantes veteranos (no segundo ano de curso ou mais) para trabalhar como “mentores” de calouros, estudantes que acabaram de chegar ao país e começar os estudos.

Benefícios de ser um mentee

  • Ganha conselhos práticos, incentivo e apoio
  • Aprende com as experiências dos outros
  • Torne-se mais capacitado para tomar decisões assertivas
  • Desenvolve suas habilidades de  comunicação
  • Desenvolver estratégias para lidar com ambas as questões pessoais, acadêmicas e laborais
  • Identifica objetivos e estabelecer um senso de direção
  • Obtêm informações valiosas
  • Aumenta a rede de contatos e faz novos amigos

Benefícios de ser um mentor

  • Melhora a comunicação e habilidades pessoais
  • Desenvolve qualidades de liderança e de gestão
  • Reforça as suas próprias habilidades de estudo e conhecimento do seu assunto (s)
  • Aumenta a sua confiança e motivação
  • Envolve-se em uma oportunidade de voluntariado,  que pode ser valorizada pelos empregadores
  • Aumenta a rede de contatos e faz novos amigos
  • Obtêm o reconhecimento de suas habilidades e experiências profissionais
  • Beneficia-se de um sentimento de satisfação e crescimento pessoal

Peer mentoring para bibliotecários

International Librarians Network  (INL) é uma espécie de peer mentoring entre bibliotecários que organiza o contato  entre bibliotecários de diferentes partes do mundo a partir das experiência  nesta iniciativa de formação entre pares. 

No último dia 02/03/2016 tivemos uma conferência virtual organizada por SocialBiblio e presentada por María García-Puente Sánchez da Espanha onde apresentou o projeto e esclareceu sobre possíveis dúvidas. 

Quem pode participar?

Bibliotecários que possuam habilidades mínimas de redação em língua inglesa isso porque haverá troca de emails, whatsapp, etc. embora seja bem interessante que se pudesse conversar por skype. Existe a possibilidade de que haja acordo entre ambos em definir um idioma padrão para a comunicação. Ou seja, se houver um mentor que se expresse em português, pode ser uma oportunidade.

Qual o tempo de dedicação?

4 meses a total. Ideal dedicação de 1 a duas horas a cada duas semanas mas que fica acordado a melhor forma entre as partes.

Algumas outras questões frequentes são encontradas  aqui.

Pense que isso pode resultar em uma experiência muito enriquecedora e ter um impacto positivo sobre o sucesso profissional. Eu já demonstrei interesse para a próxima rodada, e você porque não faz o mesmo? Preencha esse formulário aqui.

Os números do blog em 2015

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2015 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um comboio do metrô de Nova Iorque transporta 1.200 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 6.000 vezes em 2015. Se fosse um comboio, eram precisas 5 viagens para que toda gente o visitasse.

Clique aqui para ver o relatório completo

Espero poder ter a sua visita por aqui em 2016, com bastante novidades.

Dia do Bibliotecário no Brasil

Peppa pig homenageia bibliotecários

12 de Março – Comemora-se no Brasil o dia do Bibliotecário. A data foi escolhida porque era a data do nascimento de Manuel Bastos Tigre, que foi considerado o primeiro bibliotecário concursado do Brasil.

Prestou concurso para ingressar no Museu Nacional do Rio de Janeiro bibliotecário e assim se classificou em primeiro lugar, com o estudo sobre a Classificação Decimal. Transferido, em 1945, para a Biblioteca Nacional, onde ficou até 1947, assumiu depois a direção da Biblioteca Central da Universidade do Brasil, na qual trabalhou, mesmo depois de aposentado.

manuel bastos tigre

Manuel Bastos Tigre trouxe grande contribuição social e cultural para o Brasil, por isso, nada melhor do que a data de seu nascimento para celebrar o dia daqueles que comungam o mesmo objetivo: disseminar informação e conhecimento a fim promover o desenvolvimento cultural e social do país.

Datas comemorativas do dia do bibliotecário em outros países.

Data comemorativa do dia do bibliotecário em outros países.

Felicito todos os colegas de profissão que temos a tarefa diária de contribuir por um mundo melhor e mais justo quando assumimos a missão de iluminar o mundo com a chama viva do conhecimento, compartilhamos o saber e criamos novas formas acessar, aprender e guardar a memória coletiva.

Olá, mundo!

 

Sobre o blog

avatar thiago giordano siqueira

Trata-se de um espaço de armazenar ideias, pensamentos, coisas que eu acho legal e ao mesmo tempo poder compartilhá-las com os leitores.
O foco principal será em temáticas relacionadas ao mundo da Biblioteconomia e Ciência da Informação com uma abordagem multidisciplinar, aqui pretendo divulgar notícias, eventos, entrevistas, fatos curiosos, entre outros.

 

Conto com a participação de vocês por meio de comentários, sugestões e até mesmo críticas.

Qualquer coisa, me envie um email: thiago.giordano@gmail.com

Sobre a concepção do nome

Finalmente depois de algumas cobranças de amigos finalmente iniciei o projeto do blog que aos poucos irá ganhando fôlego. A primeira missão foi pensar o nome de um domínio para o blog, enfim defini como THIAGOTECA,

O nome THIAGO – por ser o meu nome

Thiago | de origem francesa,  significa “dádiva de Deus”

Tiago, que surgiu como uma variação Iago, através de Santiago, nome vindo do espanhol originado através da aglutinação Sant’Iago.

Tem origem no nome latino Iacobus, que por sua vez é uma latinização do nome hebreu Ya’akov (יעקב) ou Jacó.

Na verdade tem inúmeras interpretações e a mais importante e que justifica esse nome é: minha mãe quis. Simples assim!

Em seguida, acrescentei o sufixo TECA (embora saiba que gramaticalmente é usado com substantivos femininos, mas eu precisava de um nome de registro possível pra isso aqui. Ok?)

-teca | sufixo.

(latim theca, -ae, caixa, estojo, do grego thékê, es)

Exprime a noção de coleção ou local de armazenamento.*
Dessa maneira, a ideia é que esse seja um espaço de armazenar  minhas ideias, pensamentos, coisas que acho legal e ao mesmo tempo poder compartilhá-las com os leitores que tenham interesse. O foco principal será em temáticas relacionadas ao mundo da Ciência da Informação com uma abordagem multidisciplinar, aqui pretendo divulgar notícias, eventos, entrevistas, fatos curiosos, entre outros.

Conto com a participação de vocês por meio de comentários, sugestões e até mesmo críticas.

“-teca”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/-teca [consultado em 07-03-2015].