Pensar maneiras de reavivar as bibliotecas

Campanha para transformar as bibliotecas

libraries transform

Projetado para sensibilizar o público para o valor, o impacto e os serviços prestados por bibliotecas e dos próprios profissionais; a campanha de ALA (American Library Association) criou a campanha “Libraries Transform” , no português algo como  “Transformar as Bibliotecas” e tem o objetivo de ajudar a criar uma mensagem comum, clara e forte dentro e fora da profissão sobre a natureza transformadora das bibliotecas nos dias de hoje bem como a importância delas na era digital.

As maneiras pelas quais as bibliotecas se transformam são tão sutis e variadas como as pessoas a que servem. As mudanças físicas são fáceis de detectar, mas a transformação de serviços, e o alcance podem ser menos evidentes, embora essas mudanças estão ocorrendo constantemente.

Este vídeo é a primeira de muitas ferramentas compartilháveis ​​concebidos para provocar uma discussão sobre a  biblioteca transformada e o profissional  da biblioteca. Em algumas coisas estamos longe na realidade brasileira, onde ainda não conseguimos unir economia e bibliotecas por exemplo. Mas o importante é a inspiração e acreditar que podemos chegar nesse cenário o quanto antes.

Esta campanha foi desenhada para mostrar como:

• Bibliotecas transformam as comunidades e as vidas de pessoas.

• Bibliotecas seguirão [deveriam seguir] se transformando rapidamente para responder e atender às novas necessidades de usuários e comunidades no século 21.

• Os profissionais de biblioteca seguem em capacitação para adquirir habilidades e competências para melhor atender as necessidades em tempos de mudança nas comunidades a que servem.

• Aumentar a conscientização e o apoio às bibliotecas. Demonstrando a natureza transformadora das bibliotecas de hoje.

• Aumentar a conscientização sobre o papel fundamental que possuem as bibliotecas e os profissionais das bibliotecas na era digital.

• Atualização da imagem das bibliotecas e dos profissionais que nela atuam.

• Atrair à profissão os melhores e mais brilhantes profissionais em todas os âmbitos da vida para ajudar a crescer e expandir nossa biblioteca.

• Influenciar os principais tomadores de decisão nos níveis nacional, estadual e local para aumentar a acessibilidade e políticas públicas para as bibliotecas.

Cartões postais e cartazes da campanha

Amerelo: Porque existem mais de 14.000.000 resultados da busca para as eleições presidenciais de 2016. Laranja: Porque mais de um quarto dos lares norte-americanos não têm um computador com ligação à Internet. Azul: Porque por que não você ser capaz de trazer o seu grande macchiato snickerdoodle caramelo (tipo de café vendido na cafeteria Starbucks)?

Amerelo: Porque existem mais de 14.000.000 resultados da busca para as eleições presidenciais de 2016.
Laranja: Porque mais de um quarto dos lares norte-americanos não têm um computador com ligação à Internet.
Azul: Porque você não pode ser capaz de trazer o seu grande macchiato snickerdoodle caramelo (tipo de café vendido na cafeteria Starbucks)?

Verde claro: Porque o mundo está em suas mãos e que o mundo pode ser um lugar assustador. Verde escuro: Porque os alunos não podem pagar revistas acadêmicas com um orçamento "ramen budget" (expressão utilizada para viver na pobreza já que se refere a uma comida muito econômica como o macarrão instantâneo - amplamente considerado como a refeição mais barata que um humano pode consumir). Roxo: Porque os empregadores querem candidatos que sabem a diferença entre uma busca na web e uma pesquisa.

Verde claro: Porque o mundo está em suas mãos e que o mundo pode ser um lugar assustador.
Verde escuro: Porque os alunos não podem pagar revistas acadêmicas com um orçamento “ramen budget” (expressão utilizada para viver na pobreza já que se refere a uma comida muito econômica como o macarrão instantâneo – amplamente considerado como a refeição mais barata que um humano pode consumir).
Roxo: Porque os empregadores querem candidatos que sabem a diferença entre uma busca na web e uma pesquisa.

Ajude a difundir a campanha

Como o material é em inglês e algumas coisas não se aplicam a nossa cultura brasileira, é interessante pensar no que poderia despertar o interesse de nossa comunidade e criar nossos próprios cartazes utilizando um diagrama parecido. As cores utilizadas me chamaram bastante atenção. Isso seguramente eu aplicaria.

  1. Envie um Tweet em seus serviços mais inovadores e impactantes usando a hashtag #transformarasbibliotecas
  2. Inclua informações sobre “Transformar as Bibliotecas” nos boletins de notícias ou e-mails.
  3. Faça a sua própria campanha de marketing criativa para encantar e surpreender sua comunidade. 
  4. Convido você leitor ou seguidor do blog os membros de sua comunidade para compartilhar informações sobre a forma de “transformar as bibliotecas” em suas plataformas de mídia social – Facebook, YouTube, Instagram, etc. 

Sinta-se convidado a compartilhar suas experiências e dizer quais motivos você acredita que as bibliotecas precisam ser transformadas e de que maneira podemos oferecer serviços para mostrar essas transformações.

Tuitaço pela biblioteca

tweet2

O dia da #biblioteca é uma ação internacional que tem a finalidade de difundir através do Twitter mensagens com a etiqueta #biblioteca para divulgar o valor social, cultural e educativo dos serviços bibliotecários.

Espero que você possa participar conosco no próximo dia 10/08/2015, no Twitter falando sobre a #biblioteca e compartindo com outros colegas de todo o planeta.

Ainda que possa tuitar durante todo o dia, queremos concentrar os esforços brasileiros em dois momentos: 11:00h e 15:00 h.

Todo começou em 2009 como um jogo entre um grupo de amigos que se perguntavam se seriam capazes de converter a  #biblioteca num trending topic. Mesmo passado os anos que conseguiram o objetivo em mais de uma ocasião, todos continuam entusiasmados a cada ano e seguem agregando pessoas em diferentes países e que desejam se empenhar para que a biblioteca tenha maior visibilidade.

Se quiser saber mais sobre o porquê e a história da #biblioteca, os remeto aos arquivos deste blog, especialmente os do mês de agosto de 2009, quando surgiu tudo, e a este site que criado por Diego Ariel Vega e que se recopila toda a informação sobre a aventura.

O que publicar:

Os conteúdos dos tweets podem ser de muitos tipos, o importante é que sempre estejam acompanhados da hashtag #biblioteca e que em cada mensagem se mostrem nossos valores. Algumas ideias:

  • Se é usuário: Conte sua experiência,  as razões de usá-la, vantagens (e inconvenientes), Estás satisfeito? Exitem bibliotecas perto da sua casa ou comunidade?
  • Se é bibliotecári@: O que você faz, onde trabalha, o que você gosta [o não] de suas tarefas, etc.
  • Se é uma biblioteca: Se trata de mensagens mais orientados as proprias bibliotecas, para que se mandem com a conta institucional. Difunda esta informação entre seus usuários (eles são a chave de que sejamos trending topic), explica seus serviços, horários, atividades, quem é essa instituição, etc.

Exemplos:

A #biblioteca não é um gasto, é uma inversão

#biblioteca + bibliotecári@s: um direito irrenunciável

Uma foto na  #biblioteca ______ http://___

Fiz meu book de casamento, aniversário, na #biblioteca

Vídeo sobre o uso do catálogo da #biblioteca

Te apresentamos ao clube de leitura da #biblioteca

A #biblioteca recomenda ____ 

Um obra essencial ____, disponível na #biblioteca

Graças a  #biblioteca conheci ____

Um livro interessante que li sobre______ e está na  #biblioteca ______

Lembre que sua #biblioteca está em http://___ ,

A #biblioteca te oferece diversidade de serviços http://___

A partir do catálogo da #biblioteca você pode conhecer nossos recursos

Tutorial sobre o serviço ___ da #biblioteca http://___


Solte a imaginação! E independentemente de ser usuário, bibliotecári@ ou biblioteca, ajude a difundir o evento entre seus seguidores do Twitter, anime-os a participar. Segue pessoas importantes? Peça que te ajudem a difundir a ideia, ademais: comente coisas, comparta fotos, sugira leituras. Qualquer coisa, mas não esqueça a hashtag  #biblioteca

Lembre-se e esteja seguro de tuitar: #biblioteca e não #bibliotecas (no plural) ou outras possíveis variações.

Imagens que podem ser compartilhadas e divulgadas a vontade:

Para leitores de outros países, confira os horários:
  • 08:00 e 12:00 h. Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicaragua.
  • 09:00 e 13:00 h. Colômbia, Equador, México, Panamá, Peru.
  • 09:30 e 13:30 h. Venezuela.
  • 10:00 e 14:00 h. Cuba, Bolívia, Chile, Estados Unidos (Washington), Paraguai, Porto Rico, República Dominicana
  • 11:00 e 15:00 h. Argentina, Brasil, Uruguai.
  • 15:00 e 19:00 h. Espanha (Canarias), Portugal.
  • 16:00 e 20:00 h. Espanha (Península)

Campanhas publicitárias que fomentam a leitura – parte II

Depois de Campanhas publicitárias que fomentam a leitura – parte I seguimos agora com outras novidades que merecem destaque.

Salve um livro, leia um livro.

Apelos para salvar os livros, porque todos os dias há mais e distintas ofertas mais elevadas para preencher nosso tempo de lazer. A agência desenvolveu uma campanha de impressão que ganhou o Prêmio Leão de Ouro em Imprensa no Cannes Film Festival. A campanha consiste em três páginas duplas: Moby Dick, Dom Quixote, O Pequeno Príncipe, três dos mais amplamente lido nos livros de história da humanidade.

Agência: Grey

Anunciante: Associação de Editores de Madri

Ano:2013

"Quando você passa tanto tempo na frente de um vídeo game, você mata não só os seus inimigos."

“Quando você passa tanto tempo na frente de um vídeo game, você mata não só os seus inimigos.”

"Quando você gasta tanto tempo jogando no seu celular, nem tudo o que destrói dá pontos".

“Quando você gasta tanto tempo jogando no seu celular, nem tudo o que destrói dá pontos”.

"Se você gasta muitas horas assistido a série mais vista da história, os protagonistas não serão a única coisa que você acaba perdendo".

“Se você gasta muitas horas assistido a série mais vista da história, os protagonistas não serão a única coisa que você acaba perdendo”.

Imagens originais no site da Agência. Disponível em: http://grey.com/spain/work/key/asociacion-editores2013/id/2507/

Um livro pode mudar a história de sua vida

Com essa campanha a agência asiática ilustra como “literalmente” um livro pode mudar sua vida. De que forma determinadas leituras podem possibilitar a mudança de direção em nossas vidas.

Agência: Y&R Beijing

Anunciante: Penguin Books, Inglaterra

Ano:2011

penguin1 penguin2 penguin3 penguin4 penguin5

 

Imagens originais no site: http://www.arq4design.com/tododesign/change-direction-adv-by-yr-beijing-agency-for-penguin-books/

 


 

Capturada em áudio

Em 2014, a mesma agência Y&R Beijing realizou uma nova campanha, desta vez para promover os audiolivros da Penguin, a campanha intitulada “Capturada em Áudio” que foi premiada na modalidade gráfica do Prêmio Clio Awards. 

penguin-book-grafica_014

As Aventuras de Sherlock Holmes, capturado em aúdio

penguin-book-grafica_013

Frankenstein, capturado em aúdio

penguin-book-grafica_008

Moby Dick, capturado em aúdio

penguin-book-grafica_006

Alice no País das Maravilhas, capturado em aúdio

penguin-book-grafica_004

Drácula, capturado em aúdio

penguin-book-grafica

Dia D – A invasão de Normandia, capturado em aúdio

penguin-book-grafica_012

Dom Quixote de la Mancha, capturado em aúdio

penguin-book-grafica_015

Contos dos heróis gregos, capturado em aúdio

Bibliotecas em todo o mundo estão sofrendo cortes orçamentários resultantes da crise econômica

Bibliotecas em todo o mundo estão sofrendo cortes orçamentários resultantes da crise econômica: inversão ou gasto?

investir em tempos de criseAs bibliotecas desempenham um papel fundamental na sociedade, não só como lugares onde um indivíduo pode emprestar livros ou utilizar-se do espaço sem gastar um real por isso.

Me refiro aqui às bibliotecas que fornecem bons serviços à comunidade como os centros culturais ou mesmo as bibliotecas parque, um conceito que surgiu em Medellín, na Colômbia e chegou ao Brasil onde já existem no Rio de Janeiro e São Paulo  e vem ganhando cada vez mais visibilidade devido sua formulação ser  mais ampla do que a tradicional, vai além de ter um acervo literário e de oferecer empréstimos de livros.  A ideia é que esses locais se aproximem de centros culturais, com ampla acessibilidade, a realização de atividades culturais e a promoção de leitura nos mais diversos suportes.

Mas com a crise do que a maioria dos países do mundo têm sido cruz recursos orçamentais notáveis em muitas ocasiões têm desempenhado-se à cultura e bibliotecas onde há livros são comprados, quase não há empregados ou, por exemplo, revistas não estão disponíveis.

É uma realidade comum nas mídias impressas e mesmo nos correios eletrônicos que tenho recebido ultimamente. É fato o recorte nos orçamentos destinados às bibliotecas mesmo em países onde culturalmente elas se apresentam como instituições de alto reconhecimento para a sociedade.

5917-protestany_in_New_York

Em Nova York, já foi decidido dispor uma fatia no orçamento destinado aos serviços direto ao púbico das bibliotecas em mais ou menos U$10 milhões de dólares do total de U$323 milhões (New York Times; 21/04/2015) o restante serve para pagar os funcionários e quase nada sobra para modernizar as instalações dos edifícios e realizar outras manutenções que sejam necessárias.

Comparado ao ano de 2008, já apresenta uma perda de 65 milhões de dólares que deixaram de ser investidos nesses espaços. Isso desenvolveu protestos em frente as instituições porque os cidadãos entendem que o orçamento para tal instituição nunca deveria baixar, mas sim permanecer estável ou aumentar ano após ano. E já começam a mobilizar-se para recuperar dinheiro que possibilite a volta de alguns programas que deixaram de ocorrer desde o referido ano.

Keith Michael Fiels (2011) elaborou um excelente trocadilho em seu artigo “A Library State of the State: trends, issues and myths” quando disse:

“Nós já ouvimos falar da ‘biblioteca sem paredes’ por muitos anos e muitos políticos prontos para acelerar a impressão dessa tendência acabaram criando a ‘biblioteca sem dinheiro”.


Biblioteca_Publica_do_Amazonas_ACRIMA20120716_0042_15

Pensando nisso, a sociedade se organiza. O Movimento Abre Biblioteca que surgiu em Manaus em maio de 2012, inspirado no Marea Amarilla (Maré Amarela), movimento criado em prol da luta pelas Bibliotecas Públicas da Espanha. Encabeçado pelas bibliotecárias Soraia Magalhães, Katty Anne Nunes, eu Thiago Giordano Siqueira, na época ainda estudante de Biblioteconomia  e a design Evany Nascimento decidimos criar uma mobilização para garantir a reabertura da Biblioteca Pública do Estado do Amazonas que se encontrava fechada a 5 anos para reformas.

Abre-Biblioteca-Rio

Agora, cria-se uma extensão carioca, Movimento Abre Biblioteca Rio para sensibilizar as autoridades e demais responsáveis pelas bibliotecas parque do Estado do Rio de Janeiro sobre a contenção de investimentos que levou as 4 instituições a  limitarem os dias e horários de atendimento ao público. Por conta disso, haverá um Ato público contra os corte na cultura, especialmente nas bibliotecas-parque; Data e horário: 29 de maio de 2015, às 15 horas; Local: Biblioteca Pública do Estado do Rio de Janeiro, Avenida Presidente Vargas, 126 – Centro.

Aproveito o espaço para divulgar o movimento “Eu Amo Biblioteca, Eu Quero” foi criado pela Federação Brasileira de Associação de Bibliotecário (FEBAB) para mobilizar a sociedade e mostrar que as bibliotecas não são apenas um espaço para guardar livros. As bibliotecas devem ser espaEu-amo-bibliotecasços convidativos e, além de incentivar a leitura, precisam oferecer uma agenda cultural variada com música, cinema, dança, arte, cursos, palestras, oficinas. Nós precisamos de bibliotecas, e devemos exigir bibliotecas de qualidade. É nosso direito como pessoa, como cidadão.

Eu percebo e gostaria que muitos governantes e investidores notassem as bibliotecas como uma fonte de inversão social porque nelas se cresce como pessoas, se constroem cidadãos que precisam de informação. [Não vale dizer que a internet chegou pra democratizar, porque é papo. Nem todos possuem computador em casa, tampouco acesso a internet ou ainda sabem manipular o aparato tecnológico]. 

As bibliotecas não são apenas lugares de estudos ou para empréstimo de livros, há muitos casos em que ela é utilizada para consultar os anúncios de apartamentos, para que os desempregados possam ser orientados de que maneira criar seus currículos e ainda para as crianças recebem aulas gratuitas. Ou seja, elas são essenciais para o desenvolvimento da cultura democrática e são lugares de encontro, debate e convivência para comunidade local.

Uma vez que a sociedade se mobilize e promovam atos a favor das bibliotecas, então a mediocridade dos gestores diminuirá pouco a pouco e começarão a conhecer o valor das bibliotecas, dos profissionais que a constituem e ainda dos milhões de pessoas que a frequentam diariamente e as que ainda estão por conhecer a magia desse lugar.

Campanha de incentivo a leitura #50mais1

50mais1, Campanha de incentivo a leitura da FazINOVA Brasil

Assista ao vídeo da campanha e espalhe a leitura pelo Brasil. 

A FazINOVA acredita no poder dos livros de mudar vidas. E por isso resolvemos juntar todas as nossas forças, através dos inúmeros Embaixadores que temos pelo Brasil, para disseminar o hábito da leitura com a campanha “50mais1”.

Mais uma vez surpreendido e encantado com o trabalho de Bel Pesce, sim, ela mesma, a escritora do famoso livro A menina do vale. Uma jovem empreendedora brasileira que está sempre buscando estimular outros jovens a “fazer acontecer”, empreender e desenvolver habilidades e competências de modo responsável. É importante ressaltar o compromisso com o social porque a missão da empresa é muito clara e acredita que nosso país é o resultado da soma das ações de todos nós.

No Brasil, metade da população tem o hábito de ler. Cinquenta mais um desafia você, leitor, a compartilhar esse hábito emprestando um livro que você gosta para um amigo, e assim, trazendo cada vez mais pessoas para esse universo da leitura.

#Para participar é simples:

  • Tire uma foto com o livro que será compartilhado.
  • Diga qual amigo vai receber o livro.
  • Poste nas redes sociais com a #50mais1 indicando mais 3 amigos para continuar a corrente.

Para facilitar a postagem, a FazINOVA montou esse texto que pode ser copiado e compartilhado:

Fui desafiado a compartilhar um livro e incentivar a leitura no Brasil com a campanha #50mais1.
Um livro que me ensinou muita coisa foi “nome do livro” e eu vou emprestá-lo para a “nome do amigo” E desafiar meus amigos “amigo1”, “amigo2” e “amigo3” a também compartilhar um livro e desafiar outras pessoas.