Estudantes criam marcadores de livros com temática multicultural

Estudantes criam marcadores de livros com temática multicultural para as bibliotecas públicas do Condado de Montgomery (Estado Maryland, nos Estados Unidos).

Estudantes do ensino médio foram convidados a usar arte para expressar como eles se sentem sobre comunidade e cultura em Montgomery. Dezenas de estudantes reuniram-se no parlamento provisório de bibliotecas públicas do condado de Montgomery, quinta-feira (22/06/2017) para estrear a divulgação de suas novas obras que serão exibidas nas bibliotecas.

Ao total, 24 alunos tiveram a oportunidade única de criar marcadores que não só promovem a alfabetização, mas também as diversas culturas da comunidade por meio do “Multicultural Bookmarks Project“.  A parte de trás de cada marcador mostra os recursos disponíveis nas bibliotecas da cidade.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Crédito das imagens: http://www.mymcmedia.org/students-design-multicultural-bookmarks-for-montgomery-county-public-libraries/

 

Os marcadores foram impressos e distribuídos para todos os departamentos das bibliotecas públicas da cidade @MCPL. Cada aluno pode ilustrar com uma citação sobre livros, leituras ou bibliotecas. Alguns alunos vieram com suas próprias citações, enquanto outros escolheram citações de escritores famosos. Vários dos marcadores são bilíngues: em espanhol e inglês, bem como chinês, hebraico, hindi, tagalo e nepalês. Um ponto interessante que destaca realmente a função da inclusão multicultural e a bibliodiversidade.

O Projeto foi apoiado pelo Conselho de Artes e Humanidades do Condado de Montgomery, Amigos da Biblioteca, Art4Moore, Associação de Arte de Montgomery e Artivate.

“Eu projetei um marcador multicultural que é baseado em um balão de ar quente acima do mundo, que é representado como você é livre para explorar”

Katelyn Hinkel, estudante da nona série da Wheaton High School.

Clique aqui e veja o vídeo do projeto.

Divulgo a atividade para que possa servir de inspiração aos colegas.

Boas práticas devem ser disseminadas e replicadas, sempre.

19 tendências futurísticas em bibliotecas e serviços bibliotecários segundo a ALA

Enquanto leio discursos sobre a importância da leitura do livro e das bibliotecas, sei que por outro lado, no mundo real, há falta de orçamentos e o esquecimento do lugar que deveria ser essencial nas escolas. Mas não é para desanimar, esse futuro não está longe. É hora de reinventar-se!

Pensando nisso a ALA (American Library Association), através de seu Centro para o Futuro das Bibliotecas, está trabalhando para identificar novas tendências relacionadas com as bibliotecas e as comunidades a que servem. Tal medida busca promover técnicas de inovação que favoreçam os bibliotecários e construir parcerias com expertos e inovadores que ajudem as bibliotecas em questões emergentes.

#Organização e Classificação de Tendências

As tendências estão organizadas em sete categorias – Sociedade, Tecnologia, Educação, Meio Ambiente, Política e Governo, Economia e Demografia.

#Quantas oportunidades de futuro restam as bibliotecas?

19 Tendências em bibliotecas segundo ALA

1) Envelhecimento da sociedade

Os adultos podem continuar a trabalhar idades de aposentadoria tradicionais passadas.Para bibliotecas, isso pode significar uma mudança no perfil de seus usuários, especialmente em bibliotecas universitárias, médicas e especiais, e no perfil dos bibliotecários e profissionais de biblioteca. Presume-se  uma demanda por atividades de lazer para preencher o tempo dos adultos mais velhos.

2) Anonimato 

As bibliotecas e os bibliotecários podem preencher uma necessidade crescente de diálogo aberto e informações respeitáveis. Para alguns usuários, o anonimato proporciona oportunidades de discussão mais profunda e revelação pessoal. A mídia social fornece uma plataforma para partilhar informações amplamente com os amigos, familiares e público. No entanto, muitos dos aplicativos mais populares, nomeadamente Facebook, Twitter e Google, liga as comunicações para um perfil individual autenticado e  são rastreáveis.  

3) Impacto coletivo

As bibliotecas e bibliotecários são considerados colaboradores chave em projetos sociais, como a alfabetização. Portanto, devem alinhar-se com grandes organizações ou governo para esse tipo de tema.

4) Aprendizagem conectada

Estimular a exploração e interação com os recursos que para envolvam os estudante sobre benefícios fundamentais  das bibliotecas. Os estudantes poderão lograr melhores resultados quando se sentem apoiados e reforçados em outros cenários que não seja simplesmente a sala de aula e a escola.

5) Dados em todas as partes

As bibliotecas podem encontrar oportunidades de utilizar os dados para seus próprios fins ou para compartilhar com empresas, governos ou outras organizações ainda que este cenário possam trazer problemas com a privacidade dos usuários.  De igual maneira, se utilizados com inteligência, poderão ser utilizados para desenvolver, criar e promover conteúdo.  

6) Nativos digitais

 As bibliotecas e bibliotecários devem estar preparados para adaptar serviços e programas segundo as necessidades desta tipologia de usuários.  

7) Drones

Poderiam ajudar  para melhorar o acesso a Internet em zonas desatendidas, melhorar esforços de divulgação , entrega de recursos e ainda conectar pessoas por vídeo. Também são muito questionados pelos temas que envolvem a privacidade e há alguns problemas na segurança. 

8) Os “jovens adultos

As bibliotecas e  bibliotecários também tem que olhar com atenção a esse grupo de usuários que saem da adolescência mas que não necessariamente tem que ser considerado já como adultos.  

9) “Fast casual

É igual aos serviços de comida rápida, as bibliotecas devem aproveitar esse nicho para criar espaços mais ativos e sociais, mais que decoração (que pode ser um plus), é interessante desenvolver serviços que criem boas experiências e que faça ter um sentido de pertinência que toda organização busca (ou deveria buscar).

10) Aprendizagem agregada

Ofertar serviços extras a estudantes através de recursos na própria biblioteca. Recursos como oficinas, conversas informativas,  sessões de ensino, videoconferências, vídeos, etc. 

11) Gamificação

As bibliotecas, como espaços reconhecidos de aprendizagem, podem impulsar o acesso a informação por meio da aprendizagem e o descobrimento através de pequenos jogos ou instruções a fim de motivar os usuários. Estimular aprendizagem e descoberta promovida por jogos. Utilizar a biblioteca como espaço de reunião, ajudando a melhorar as habilidades sociais dos jogadores, incentivar a jogar juntos em pequenos ou grandes grupos. E principalmente: construir consciência, fazer perguntas, e processar o que está sendo aprendido através da brincadeira.

12) Internet das coisas

Os dados coletados podem ser utilizados por investigadores para identificar tendências ou padrões na sociedade de que não seria possível de outro modo.

13) Movimento maker: faça você mesmo

As bibliotecas proporcionam acesso a materiais criados por outros, agora é a hora de adotar novas funcionalidades proporcionando às comunidades a oportunidade de criar conteúdos na própria biblioteca e que poderão ser inseridas na coleção.

14) Mudança de privacidade 

Os usuários das bibliotecas necessitarão ajuda a respeito dos temas de sua privacidade pessoal de sua privacidade pessoal. O ideal é encontrar um ponto médio entre compartilhar informação e conservar a privacidade.  

15) Resilência

As bibliotecas podem ter que adaptar suas instalações, serviços e programas para demonstrar uma estratégia flexível. Sobretudo, os profissionais podem ser sócios ideais em apoiar as pessoas a adotarem práticas flexíveis em suas comunidades. 

16) Robôs

A crescente introdução a robôs nos postos de trabalho faz que haja um deslocamento nos postos laborais das pessoas. As bibliotecas devem ter um papel importante no desenvolvimento de novas habilidades para esse tipo de trabalhadores e melhorar as habilidades para que os trabalhadores possam fazer a transição a novas funções e assumir outras responsabilidades em ambientes onde os robôs assumem uma parte significativa do fluxo de trabalho. 

17) Economia compartilhada ou colaborativa

As bibliotecas tem que seguir sendo líderes em por a disposição de seus usuários recursos e espaços livres. Necessitam mudar e se adaptar para manter a satisfação de seus usuários.  Podem ter a oportunidade de se alinhar com o intercambio de serviços que promovam o bem social.

18) Desconexão

As bibliotecas tem que seguir sendo espaços para seus usuários. Buscar tranquilidade, desconexão, concentração e reflexão de alguns usuários.  Portanto, pensar em espaços múltiplos e para fins diversos, mas não esquecer dos típicos usuários que precisam de silêncio ou mesmo os que queiram “zonas livres de dispositivo” para realizar uma  desintoxicação digital.

19) Urbanização

As bibliotecas das grandes cidades tem que estar preparadas para assumir um papel importante no desenvolvimento econômico e para enfrentar desafios de aumento de demanda por qualquer razão, podendo ser uma delas, o desemprego da população. É importante adaptar-se as necessidades da cidade.

Fonte original:
Trends“, American Library Association, Agosto 8, 2014.
http://www.ala.org/transforminglibraries/future/trends (Acesso em: 5 de Maio, 2015)

5 coisas surpreendentes que você pode encontrar nas bibliotecas

Você pensa que as bibliotecas são espaço apenas onde se encontram livros? Enganado.. apresento aqui algumas mudanças nessa história, pois as bibliotecas já não são apenas sobre livros, e-books, CD ou DVD.

Embora a maioria não esteja no Brasil, espero que os colegas possam copiar. Se é bom, é legal e dá resultado.. porque não utilizar-se das boas práticas? Muitas bibliotecas repensaram suas atividades para não se tornarem espaços subutilizado e dessa maneira estão expandindo suas definições do que podem emprestar e buscam novas alternativas para de alcançar a comunidade de jovens e idosos.

Mudança de paradigma necessário: da coleção às pessoas.

“Nós gostamos de dizer que as bibliotecas hoje são menos sobre o que temos para as pessoas e mais sobre o que fazer para e com as pessoas”.

A frase acima foi dita por Sari Feldman, presidente eleito da American Library Association  (ALA) e diretor-executivo do Sistema de Bibliotecas Públicas de Cuyahoga County, nos arredores de Cleveland, Estados Unidos.

  1. Os Bibliotecários hoje [deveriam e podem]  ajudar com pesquisas de emprego, ensinar conhecimentos de informática básica, mesmo mostrar novos aplicativos para e-readers ou informar como aproveitar melhor as funcionalidades de seus dispositivos.

    Bibliotecário educador. Fonte: http://www.fno.org/mar2010/library.jpg

    Bibliotecário educador.
    Fonte: http://www.fno.org/mar2010/library.jpg

  2. Existem práticas de reinvenção das tradicionais horas de narração oral ou hora do conto, oferecem programas de artesanato para as crianças – e já há casos de que é possível até mesmo levar seus animais para a biblioteca, através de projeto como “Paws of Readind” algo como ” Patas de leitura”, que tem a proposta de estimular a confiança das através da leitura em voz alta para um cão especialmente treinado. Esses cães possuem perfil calmo e discreto e podem normalmente permanecer como parte de uma classe ou uma biblioteca. A metodologia acredita que as crianças vêem os cães como adoráveis ​​e não-julgamento, ademais, os relatos divulgados no site desse projeto as crianças afirmam que os cão não ficam se divertindo pelo fato de se ler lentamente ou se atrapalhar para pronunciar uma palavra.

3) Há bibliotecas que usam o Facebook para hospedar um clube do livro fora de hora. É como se em uma conversa Facebook regular, o usuário segue a fan page da biblioteca e comenta listando os  três leituras recentes que  mais gostaram, e há uma equipe de funcionários que sugerem mais três livros que provavelmente serão de interesse. Outras como a Rede de Bibliotecas do Instituto Cervantes disponibiliza uma série de material de apoio para o ensino de espanhol como língua estrangeira. As Bibliotecas da Cidade de Buenos Aires, por sua vez divulga eventos como festivais de poesia e leitura, cursos promovidos na cidade e divulga as bibliotecas que fazem parte da rede comunitária de apoio escolar.

4) A Biblioteca Pública de Hartford (Estados Unidos) por exemplo, possui um estúdio de gravação no espaço YOUmedia. Claro, se há tecnologia para isolamento acústico, porque não podemos ter um estúdio? É um espaço onde os adolescentes de 13 a 19 anos podem explorar, expressar e criar utilizando meios digitais. Lá possuem acesso a laptops, dispositivos móveis, sistemas de jogo, imagem e edição de vídeo software, ferramentas de fabricante, a cabine de som e outras coisas. O mais bacana é que possibilita aos alunos formar seus próprios grupos de trabalho ou se conectar com outros departamentos da biblioteca para personalizar ainda mais a sua experiência de aprendizagem e propor projetos. De acordo com a equipe, o YOUmedia está disponível para parcerias com professores e escolas para expandir o acesso a este espaço incrível. Que inveja! rsrs

Tudo o que tem disponível na YOUMedia na Biblioteca Pública de Hartford. Fonte: http://www.hplct.org/library-services/teens/youmedia

Tudo o que tem disponível na YOUmedia na Biblioteca Pública de Hartford.
Fonte: http://www.hplct.org/library-services/teens/youmedia

Entrada YouMedia da Biblioteca Pública de Hartford Fonte: https://www.facebook.com/HartfordPublicLibrary/photos_stream

Entrada YOUmedia da Biblioteca Pública de Hartford
Fonte: https://www.facebook.com/HartfordPublicLibrary/photos_stream

Coleção de CD, DVD, Games da YouMedia na Biblioteca Pública de Hartford Fonte: https://www.facebook.com/HartfordPublicLibrary/photos_stream

Coleção de CD, DVD, Games da YOUmedia na Biblioteca Pública de Hartford
Fonte: https://www.facebook.com/HartfordPublicLibrary/photos_stream

Estúdio de Gravação YouMedia da Biblioteca Pública de Hartford Fonte: https://www.facebook.com/HartfordPublicLibrary/photos_stream

Estúdio de Gravação YOUmedia da Biblioteca Pública de Hartford
Fonte: https://www.facebook.com/HartfordPublicLibrary/photos_stream

Sala de Games da YouMedia na Biblioteca Pública de Hartford Fonte: https://www.facebook.com/HartfordPublicLibrary/photos_stream

Sala de Games da YOUmedia na Biblioteca Pública de Hartford
Fonte: https://www.facebook.com/HartfordPublicLibrary/photos_stream

Na verdade YOUmedia é uam rede existente em mais de duas dezenas de bibliotecas, museus e outros espaços que são chamados de laboratórios de aprendizagem  onde permite o acolhimento de adolescentes e são construídos em torno da proposta de ser um espaço de encontro, brincadeiras e pesquisa.

Por hoje é só porque não sei se  deprimido ou motivado para gerar mudanças já que no no meu país são poucas as iniciativas assim.

Conhece alguma boa prática? Conte aqui nos comentários. Ajude a divulgar mais coisas surpreendentes que podemos encontrar nas bibliotecas.